sábado, 21 de junho de 2008

"Entrar na Mente"


Muitos estudiosos nos contam que para convencer uma pessoa com quem você pretende ficar é preciso "entrar na mente". Mas o que isto seria? Exemplos são bem simples, mas de pouca relevância - como sempre. Vários homens cometem falhas nas suas tentativas de "entrar na mente", com perguntas do tipo: "você vem sempre aqui?" ou "te conheço de algum lugar?". O fato é que a técnica de "entrar na mente" é universal, e pode ser aproveitada em situações diversas com público diferenciado, não importando se você quer conquistar aquele garoto... ou aquela garota.
Coisa importante é lembrar que jamais devemos perguntar, por exemplo, se o cachorrinho da moça tem telefone. Bem, isso pode até funcionar se for o cachorrinho dele, até porque -estupidamente divertida esta quase obervação científica- os homens estão mais sucetíveis às frases de efeito que eles mesmos usam. [Sinceramente, o criador dessa cantada deveria estar preso, em pena perpétua !]. Mas deve ter seus efeitos. Não haveria sentido em usá-la caso não tivesse funcionado com alguém em alguma vez por aí, num lugar muito muito distante (ou não)
Agora falando por mim: eu não gosto de usar esses métodos; não com seriedade. Quando me refiro à seriedade eu quero me referir a atitudes sinceras minhas de querer demais ficar com alguém, que é quando a gente deseja o bem e tem vontade de cuidar, proteger, entre outras coisinhas. Posso brincar com uma amiga, fazer graça, isso quando não há sentimentos de puro amor ou paixão. Nessas situações isso só é parte dos mínimos detalhes diários que usamos vez ou outra a fim de divertir alguém muito querido. Uma amiga confidente, quem sabe, sem nenhum desejo de ofender sua inteligência ou parecer idiota.
Estive com amigos e vi todos os lances, e acho que o problema não é ser original, muito menos criativo. O X dessa problemática é que os homens usam demais o seu Y. Eles não se permitem sentir. Chorar, então, é algo super difícil (Tá, horrível isso. Mas é importante e necessário ser natural). Para que possam dizer o que na verdade pensam sobre elas é ótimo que conversem melhor, o que não significa mais. A vida é como o vento. Podemos assim entender que as relações têm demasiada tendência, sobretudo com as agitações diárias típicas do nosso momento histórico, a resumirem-se a instantes prazerosos. Fora isso, apenas o tédio.
Importa que as pessoas se amem melhor, já que não se amam com freqüência. E mais uma coisa: a realidade é que este mundo vem sendo dominado por dois grupos de gente: as crianças e as mulheres. As crianças, porque o universo adulto, hoje, é servo de aspirações infantis, e os pais de agora só conduzem o jogo familiar na teoria.
Sério! Crianças conseguem de tudo através de sugestão semi-hipnótica. Chorando, então, são mortais. Já viu um adulto ficar sob o domínio delas? Eu também.
"ôôôuuu, meu querido, fica assim não... papai vai comprar", "mamãe vai te dar um sorvete", "tome. iiiisso, dê um beijinho no papi. ôoouuunn". Mas as mulheres que aproveitam de semelhante poder gozam de resultados gloriosos; e nada consegue ser melhor para essas mulheres do que tê-los, os homens, sob controle incondicional. Todos os homens são bobinhos por natureza. Bobos, quando se apaixonam; bobões, quando amam. Tudo nesta ordem. E se as mulheres se comportam como crianças e investem nisso, as conseqüências do ato tomam proporções gigantescas.
"Você não gosta mais de mim... não é?", "Você nunca faz o que eu quero...", "Você diz que me ama, mas eu sei que não!". É, meu caro, as mulheres também tem suas frases de efeito. Sempre.
"Entrar na mente" consiste saber como os grupos humanos se comportam, dividem tarefas e se arriscam para alcançar suas metas. Sair à noite para se divertir, sempre mais de um, faz parte de um plano. Convidar para dançar, oferecer uma bebida, chamar para sentar à mesma mesa...
Eles perguntam; elas dizem não. Eles insistem; elas se fazem de difíceis. Eles dizem palavras sem sentido; elas riem. Eles avançam para roubar um beijo; elas se afastam dando em troca, quem sabe, um beijinho no rosto - Ah, beijinho no rosto... isso é mau, muito mau! {risos}
E assim as pessoas seguem o curso natural e saudável de suas existências. :)

Um comentário:

jorge disse...

tudo gira em torno da confiança, vc entrou nos detalhes de um homem que quer se apaixonar e esqueceu os que querem curtir, os apaixonados podem falar a verdade e terao sucessos, mas os que querem curtir podem mentir e terao o mesmo sucesso de sempre, se tu for tao convicto e confiante naquilo que tu fala ela vai achar que tu tem razao.